Lema da Central Musical: Anos 80

Não é necessário gostar de tudo, mas por que não conhecer? - Uma audição crítica de todos os álbuns lançados na década de 80.

After Midnight - The Manhattans

30 de set de 2010 comentários: 3
O que é isso?



Ficha corrida da banda:
Nacionalidade: estadunidense
Período de atividades: 1962 até hoje
Site oficialhttp://www.themanhattans.net/
Estilo/Gênero: Soul/R&B
Álbuns de estúdio: 19 até o momento
Line-up do disco: Edward "Sonny" Bivins, Winfred Lovett "Blue", George Smith "Smithy", Kenny "Wally" Kelley e Richard Taylor "Ricky"

After Midnight (1980) - Ouça aqui o disco inteiro!



 Grammy Award Winner

Sobre o disco:

Nessa época, início da década de 1980, o Manhattans já era um grupo consolidado no mundo todo pela qualidade de seu R&B recheado de doo-wop em seus arranjos vocais. Depois de enfrentar uma turbulência no que diz respeito ao convívio entre seus integrantes e a morte de seu líder, alguns saíram, outros entraram, e este álbum é considerado o melhor trabalho da segunda geração do grupo.

No decorrer dos anos, foram aperfeiçoando sua maneira de compor, principalmente nas baladas românticas e atingiram o ápice de sofisticação com After Midnight. O disco foi um sucesso e rendeu ao grupo inúmeros prêmios como o Grammy de melhor grupo vocal de R&B (veja leitura relacionada abaixo). Faixas como Shining Star (esta já tocou na rádio Polaina, no programa 3 - Especial Grammy 1981, para ouvir, clique aqui) e Girl of My Dream são verdadeiras obras-primas do estilo.

No geral, o disco é relaxante e romântico, além de oferecer uma boa experiência sonora para ouvidos mais exigentes.

Cotação da crítica especializada:

All Music Guide (0 a 5): 4,5

Leitura relacionada:


Se você nunca ouviu o grupo...


Formação típica de quinteto vocal estadunidense de influência afro-americana. Altíssima qualidade vocal. O líder canta em falsete, enqunto temos mais um tenor, dois barítonos e um baixo incrível e incomum.
Os Manhattans emplacaram um grande número de sucessos no decorrer de sua longa carreira que se tornaram standarts do R&B.
A partir de sua segunda formação que ocorreu em meados da década de 70, priorizaram as composições mais românticas.

Bebe le Strange - Heart

28 de set de 2010 comentários
O que é isso?



Ficha corrida da banda:
Nacionalidade: estadunidense
Período de atividades: 1973 até hoje
Site oficialhttp://www.heart-music.com/
Estilo/Gênero: Rock, Pop/Hard Rock, Folk Rock
Álbuns de estúdio: 13 até o momento
Line-up do disco: Ann Wilson (vocal, backing vocals, baixo, bateria, flauta, violão, tamborim, piano), Nancy Wilson (vocal, backing vocals, guitarra, piano, baixo, órgão Mellotron), Howard Leese (guitarra, teclado, backing vocals), Mike DeRosier (bateria, percussão), Steve Fossen (baixo), Sue Ennis (guitarra, piano), Greg Adams (sopros), Emilio Castillo (sopros), Steve Kupka (sopros), Lenny Pickett (sopros), Mic Gillette (sopros), Chrissy Shefts (guitarra), Gary Humphrey (backing vocals) e Don Wilhelm (backing vocals).

Bebe le Strange (1980) - Ouça aqui o disco completo!



Sobre o disco:

Depois do enorme sucesso dos discos anteriores 'Little Queen' (que tem o hit Barracuda) e 'Magazine', o guitarrista Roger Fischer deixa a banda e sua ausência é muito sentida nos trabalhos posteriores da banda como 'Bebe le Strange', mas o Heart manteve o sucesso conseguindo ficar em 5º lugar nos charts estadunidenses, principalmente por causa das músicas Even it Up e Sweet Darling.

Esse disco marcou uma mudança considerável na carreira do Heart, que passou a produzir um número maior de baladas românticas ao invés de hard rocks, também demonstra uma tentativa, pouco feliz, devo dizer, de atualizar o som da banda, tentando trazer elementos do punk e do new wave, entretanto, tempos depois, a banda retomaria sua pegada mais pesada e seu estilo característico.

Cotações da crítica especializada

All Music Guide (0 a 5): 3
Robert Christgau: B+

Se você nunca ouviu a banda...
Capitaneado pelas irmãs Ann e Nancy Wilson, é um grupo que explora bastante o pop e o folk, paralelamente ao hard rock. Figurou com grande sucesso nos charts estadunidenses no decorrer da década de 1970 e um pouco menos na década de 1980.

Roger Fischer foi um membro destacado pois muitos dos riffs famosos da banda foram criados por ele, inclusive seu toque mais refinado ao violão sempre deu um pouco mais de categoria aos arranjos da banda.

As duas irmãs cantam (as vozes são tão parecidas que é difícil distinguir uma da outra), sua técnica é muito boa e seus timbres são belos. Em algumas faixas desse disco em particular, há uma tentativa de soar como Janis Joplin.

Rádio Polaina - 11º Programa

26 de set de 2010 comentários


Está no ar o 11º Programa da RÁDIO POLAINA!!





Confira no player acima!





PEÇA AQUI SUAS MÚSICAS PARA FUTUROS PROGRAMAS!

Hoje na programação: Dio, Sigue Sigue Sputnik, Ivan Lins e muito mais!

No BLOCO DO ROQUEIRO:

The Cult


Madeira em Pé - Mário Negrão

25 de set de 2010 comentários: 3


O que é isso?



Madeira em Pé (1980) - Ouça aqui o disco completo!


Quem é o cara:

Negrão é um grande baterista, percussionista, compositor e professor, que graças a Deus ainda encontra-se na ativa, ou seja, ainda dá para podermos apreciar seu trabalho ao vivo!. Foi aluno do mestre Guerra Peixe, tocou na Orquestra Simfônica Brasileira e com grandes nomes da música nacional como Baden Powel, Chico Buarque, Emílio Santiago, Leila Pinheiro, Martinho da Vila, Toquinho, Tom Jobim e muitos outros.

Não costuma gravar muitos discos, este que apresento hoje é de 1980 e trata-se de uma raridade. Reúne peças instrumentais claramente influenciadas pelo jazz, mas ao mesmo tempo transpira brasilidade com belos arranjos voltados para o samba. O grupo que o acompanha é extenso: uma cozinha completa com a inclusão de percussão e um conjunto de sopros. Infelizmente não consegui localizar maiores informações sobre os integrantes do álbum e nem sobre as composições, que acredito serem do próprio Negrão.

Ele mantém uma página no Myspace voltada ao público internacional (óbvio). Lá você encontrará sua agenda de shows, fotos, currículo, vídeos e uma playlist com suas interpretações. É simples mas vale a pena visitar, o endereço é http://www.myspace.com/marionegrao

Confesso que não conhecia e que fiquei muito impressionado com seu trabalho realizado neste álbum, assim que tiver uma oportunidade, vou conferir sua performance ao vivo. Segue abaixo sua agenda de shows (a completa encontra-se em seu site).
  • 30 Set 2010 - Centro Cultural Light (RJ)
  • 20 Out 2010 - TV Brasil (RJ)
  • 14 Nov 2010 - Teatro Carlos Gomes (RJ)
  • 16 Nov 2010 - Instituto Moreira Salles (RJ)
  • 24 Nov 2010 - Teatro Sesi/Fiesp (SP)




Acompanhe abaixo um de seus vídeos utilizados para ministrar aulas de bateria:


Filmes Indicados - Touro Indomável

24 de set de 2010 comentários

Raging Bull

1980 - E.U.A. - 129 min.
Drama
Direção: Martin Scorsese
Música: Pietro Mascagni

Oscar: Melhor ator (Robert De Niro), melhor edição
Indicações: melhor filme, diretor, ator coadjuvante (Joe Pesci), atriz coadjuvante (Cathy Moriarty), fotografia, som.



Elenco:

Robert De Niro
Cathy Moriarty
Joe Pesci
Frank Vincent




Nicholas Colasanto, Theresa Saldana, Mario Gallo, Frank Adonis, Joseph Bono, Frank Tophan, Lori Anne Flax, Charles Scorsese, Don Dunphy, Bill Hanrahan, Rita Bennett.

Sinopse: Baseado em uma história real, conheça Jake La Motta (Robert De Niro), um exímio boxeador, um monstro nos ringues que detona tudo e todos dentro dos quatro corners, descontando em todos os seus adversários todos os golpes que a vida lhe dá (Cineplayers).

Considerado por muitos o melhor filme sobre boxe de todos os tempos.

Trailer

Debut - Orchestral Manoeuvres in the Dark (OMD)

23 de set de 2010 comentários
O que é isso?



Ficha corrida da banda:
Nacionalidade: inglesa
Período de atividades: 1978 até os dias de hoje.
Site oficialhttp://www.omd.uk.com/
Estilo/Gênero: Pop, Rock/Synthpop, New Wave
Álbuns de estúdio: 11 até o momento
Line-up do disco: Andy McCluskey (teclado, vocal, baixo), Paul Humphreys (teclado, vocais), Martin Cooper (teclado, saxofone), Malcolm Holmes (percussão, bateria), Dave Hughes (teclados)

Debut (1980) - Ouça aqui o disco completo!



Sobre o disco:

27º nas paradas inglesas e o maior destaque popular é a música Messages, que ficou em 13º.

Fortemente influenciados pela banda alemã Kraftwerk (veja mais nas leituras relacionadas), o OMD abusa do uso de teclados, equipamentos eletrônicos e efeitos sonoros. A estreia do grupo se deu em 1978 no Eric's Club de Liverpool e foram um dos integrantes do célebre selo independente Factory (veja mais nas leituras relacionadas), que futuramente incentivaria a carreira do New Order. Em 1979 foram convidados a participar da turnê de Gary Numan (veja mais nas leituras relacionadas), de quem usaram equipamentos, meios de transporte, etc. Numan praticamente apadrinhou a banda. As músicas executadas durante esta turnê britânica serviram de base para a montagem do álbum de hoje, que não é ruim, mas a banda ainda melhoraria muito nos anos seguintes.

Leituras relacionadas:

Cotações da crítica especializada:

All Music Guide (0 a 5): 3
Pitchfork Media (0 a 10): 7,3

Se você nunca ouviu a banda...

Teclados, teclados, efeitos, teclados, eletrônicos, teclados, bateria eletrônica, samples, teclados...
Uma versão light do Kraftwerk. 
Vocais medíocres, ritmo quase sempre constante, ou seja sem variações, algum experimentalismo e bastante entusiasmo para compor. Uma espécie de segunda geração da música eletrônica.

Novo Tempo - Ivan Lins

21 de set de 2010 comentários


O que é isso?



Ficha corrida do cara:
Nome completo: Ivan Guimarães Lins
Nacionalidade: brasileira
Período de atividades: 1969 até hoje
Site oficialhttp://www.ivanlins.com.br/site/
Estilo/Gênero: MPB, Jazz, Soul/Bossa Nova
Álbuns: 41 até o momento
Line-up do disco: (não localizei)

Novo Tempo (1980) - Ouça aqui o disco completo!


Sobre o disco (Carta aos leitores):

O que eu poderia dizer a mais sobre este clássico da música mundial? Ivan Lins, sem dúvida é um dos grandes gênios da música do século XX, reverenciado até pelo gigante Miles Davis (que só não gravou um disco inteiro com músicas de Ivan Lins porque faleceu antes, mas já estava até em pré-produção), sua maneira de compor que mescla técnica avançadíssima (que incrivelmente soa simples - experimenta analisar uma partitura do homem para ter uma idéia!) com letras poéticas maravilhosas, sejam engajadas ou românticas de seu grande parceiro Vitor Martins, e, mais importante, com uma paixão interpretativa contagiante! Não pense que meus superlativos sejam exagerados, a obra deste artista é respeitada em todo o mundo, se não fosse brasileiro, provavelmente seria milionário, mas duvido que trocasse de nacionalidade mesmo diante de tal perspectiva, o homem é um nacionalista!

As músicas desse disco são verdadeiras jóias! Uma delas em especial me marcou em um período de grande dificuldade: tinha um bom emprego como professor e ganhava um bom salário, mas era perseguido sem dó por um gerente que fazia questão de fazer da minha vida profissional um inferno. Por dois anos aguentei firme, pois tinha medo de abandonar o emprego e obrigar minha família a passar por dificuldades. Um belo dia a gota d'água aconteceu e junto com minha carta de demissão enviada ao dono da escola, anexei a letra de "Novo Tempo" (contida neste disco) e a utilizei como força para tocar a vida, afinal, teria que encarar de fato um novo tempo, e que fosse melhor! Segue a transcrição abaixo:

Num novo tempo, apesar dos castigos
Estamos crescidos, estamos atentos - estamos mais vivos Pra nos socorrer!

Num novo tempo, apesar dos perigos
Da força mais bruta, da noite que assusta - estamos na luta Pra sobreviver!

Num novo tempo, apesar dos castigos
De toda a fadiga, de toda a injustiça - estamos na briga Pra nos socorrer!

Num novo tempo, apesar dos perigos
De todos os pecados, de todos os enganos - estamos marcados Pra sobreviver!

Num novo tempo, apesar dos castigos
Estamos em cena, estamos na rua - quebrando as algemas Pra nos socorrer!

Num novo tempo, apesar dos perigos
A gente se encontra cantando na praça, fazendo pirraça Pra sobreviver!

Pra que nossa esperança seja mais que vingança
Seja sempre um caminho se deixa de herança.

É, e nós sobrevivemos! Poderia eu aqui fazer uma legenda em cima de cada verso da música para explicar o que cada um significou para mim, mas acho que para um bom entendedor muita coisa já ficou bem clara.

P.S. Tive que cantar na praça literalmente, rss.

Rádio Polaina - 10º Programa

19 de set de 2010 comentários


Está no ar o 10º Programa da RÁDIO POLAINA!!

Confira no player acima!


PEÇA AQUI SUAS MÚSICAS PARA FUTUROS PROGRAMAS!

Hoje na programação: Diamond Head, Kiss, Men at Work e muito mais!

Estréia do BLOCO DO ROQUEIRO!!

Musas do Cinema da década de 80 (Reboot)

18 de set de 2010 comentários: 12
Gosta dos anos 80? Torne-se um seguidor do blog!


Rebecca de Mornay por Negócio Arriscado, Herança Nuclear, Expresso para o Inferno e O Regresso para Bountiful






Sandahl Bergman por Conan o Bárbaro e Guerreiros de Fogo




Jennifer Connelly por Era uma vez na América, Phenomena e Labirinto







Kelly Preston por Christine - o Carro Assassino e Irmãos Gêmeos





Elisabeth Shue por Karatê Kid, Cocktail e De Volta para o Futuro 2







Kelly LeBrock por A Dama de Vermelho e Mulher Nota 1000







Lea Thompson por A Chance, Amanhecer Violento, De Volta para o Futuro 1 e 2 e Howard - o Super-Heroi







Mia Sara por A Lenda e Curtindo a Vida Adoidado







Kim Cattrall por Porky's - A Casa do Amor e do Riso, Loucademia de Polícia, Os Aventureiros do Bairro Proibido e Manequim






Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...