Lema da Central Musical: Anos 80

Não é necessário gostar de tudo, mas por que não conhecer? - Uma audição crítica de todos os álbuns lançados na década de 80.

Interregno - Walter Smetak

1 de jan de 2011 comentários


O que é isso?



Apesar de não ser brasileiro de nascença, Smetak fez sua carreira no Brasil e isso, penso eu, justifica sua presença na série "O Brasil não conhece o Brasil"


Quem é o cara:

Segundo o dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira


Em 1937, mudou-se da Suíça para o Brasil, contratado por uma orquestra de Porto Alegre. Trabalhou, em seguida, no Rio de Janeiro e em São Paulo, tocando em festas e nas rádios. Acompanhou artistas estrangeiros e brasileiros, como Carmem Miranda, entre outros. 


Em 1957, convidado por H.J. Koellreuter, foi contratado pela Universidade Federal da Bahia, onde durante 12 anos realizou pesquisas de som e criou mais de cem instrumentos musicais, utilizando cabaças e ferro velho.

Foi violoncelista da Orquestra Sinfônica da universidade, onde lecionou som e acústica. 

Em 1967, participou da I Bienal de Artes Plásticas, realizada em Salvador.

Dois anos depois, seu atelier começou a ser freqüentado por Gilberto Gil, Rogério Duarte e Tuzé de Abreu. 

Em 1972, foi homenageado por Caetano Veloso na faixa "Épico", do disco "Araçá azul", com a citação "Smetak, Smetak & Musak & Smetak & Musak & Smetak & Musak & Razão".

Formou, com alunos da universidade, o Conjunto dos Mendigos, que realizou apresentação em São Paulo, em 1973, utilizando a técnica e os instrumentos criados pelo músico. 

Em 1975, gravou o LP "Smetak", com produção musical de Caetano Veloso e Roberto Santana. No repertório, suas composições "Tijolinhos, material de construção (Audição espontânea do silêncio, violão eólico)", "Akwas", "Dos mendigos", "Sarabanda, projeção improvisada", "Mantram", "Iêéaóôu", "Música dos mendigos", "Indiferenciações", "Preludiando com Joseba", "Uibitús e beija-flores - Poluição quebratória". 

Em 1980, lançou, com o Conjunto Microtons, o LP "Interregno", contendo as faixas "Tendenciosa", "Plágio", "Espelhos", "Trifase", "Sementeira", "Ofício" e "Convite", todas de sua autoria. 

Falecido em 1984, influenciou vários artistas como Caetano Veloso, Gilberto Gil, o percussionista Djalma Correia e Marco Antônio Guimarães, do grupo Uakti. 

Os instrumentos criados pelo músico, como vina, vau, violão em microtom e araras, encontram-se na Biblioteca Reitor Macedo Costa, no Campus de Ondina, em Salvador.

Interregno (1980) - Ouça aqui o disco completo!


Sobre o disco: 

A pretensão de Smetak com esse disco não é trazer belas melodias e harmonias, é descobrir novos campos sonoros através da execução de instrumentos convencionais de modo pouco ou nada ortodoxos. É notável também o uso de instrumentos criados pelo próprio artista, que nos convida, com sua audição, a um novo universo de timbres, alturas, combinações e ritmos.

É experimentalismo sem ter a pretensão de agradar o apreciador comum. Trás choque, tensão e padrões incomuns - todos os ingredientes questionadores dos padrões musicais já estabelecidos na cultura da música ocidental.

Dificilmente agradará na primeira audição, mesmo que o ouvinte tenha o ouvido treinado e a mente aberta, porém, poderá despertar a atenção daqueles que buscam novos horizontes e o inusitado.

comentários

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante, todos que são publicados são respondidos, mas antes de escrever, verifique as normas do blog:
Você pode: Opinar, elogiar, criticar, sugerir, debater e discordar.
Mas NÃO PODE ofender, insultar, difamar, divulgar spam, fazer racismo, ou qualquer tipo de conteúdo ilegal, além de usar palavras de baixo calão de maneira gratuita.

Obrigado por sua visita, fico na expectativa de seu retorno!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...