Lema da Central Musical: Anos 80

Não é necessário gostar de tudo, mas por que não conhecer? - Uma audição crítica de todos os álbuns lançados na década de 80.

Back in Black - AC/DC

15 de jul de 2010 comentários: 5
** Semana Comemorativa ao dia do ROCK - Só álbuns CLÁSSICOS!**


Clique aqui






Ficha corrida da banda:
Nacionalidade: australiana
Período de atividades: 1973 até hoje
Site oficialhttp://www.acdc.com/us/home
Estilo/Gênero: Rock/Hard rock, heavy metal, blues-rock
Álbuns de estúdio: 17 (até a presente data)
Membros em 1980: Brian Johnson (vocais), Angus Young (guitarra), Malcolm Young (guitarra, backing vocals), Cliff Williams (baixo, backing vocals) e Phill Rudd (bateria, percussão)

(A primeira parte da Bio foi postada no Sons, Filmes & Afins, para ler, clique AQUI)

Bio - 2ª Parte

Conforme vimos na parte anterior, o vocalista Bon Scott falecera, mas ao invés de pensar em substituí-lo, os integrantes remanescentes ficaram tão abalados, que quase acabaram com a banda. Para nossa alegria, resolveram seguir adiante e contratar um novo vocalista.

Brian Johnson
Depois de vários testes, optaram por Brian Johnson, que vinha de uma banda chamada Geordie.

As músicas para o disco novo já estavam bem adiantadas e Bon Scott tinha participado do projeto, restava saber se com Brian Johnson iria funcionar. Ele colaborou nas composições e o resultado é o álbum clássico de hoje: 'Back in Black'.

O disco foi um marco para o hard rock e estourou nas paradas de sucesso logo em seu lançamento. Vendeu muito (estima-se algo em torno de 49 milhões de cópias até hoje, é o álbum de hard rock mais vendido da história!), deu vários prêmios para a banda e o público aprovou com louvor o novo vocalista, apesar de ressentir o antigo.

Um fato curioso aconteceu durante a primeira turnê com o novo vocalista: Angus Young relata que em uma determinada música, Johnson cantava com a voz mais rasgada que o habitual e, em determinado momento ele foi ao chão e começou a se estribuchar. Angus pensou - putz, o cara tá "sentindo" bem a música! Depois souberam que na verdade, Johnson estava com uma terrível dor no apêndice!

Leitura relacionada:


Back in Black (1980)


Cotação da crítica especializada
All Music Guide (0 a 5): 5
Blender (0 a 5): 5
Robert Christgau: B
Rolling Stone (0 a 5): 5

Ouça aqui o disco completo




Sujestão: Procure ler enquanto escuta as músicas, observe as contagens de tempo. Alguns termos técnicos podem ser facilmente interpretados com uma audição mais atenta.

Faixas/Destaques

01 - Hells bells
00:00 - o álbum é aberto com os tais "sinos do inferno". 00:19 - a primeira guitarra entra com seu fraseado no canal direito, até que 00:28 - a segunda guitarra também entra, junto com os pratos da bateria. 01:00 - a bateria deixa nítido o andamento e, em 01:15 há a variação do tema e Brian Johnson se apresenta para os fãs em 01:27 com seu delicioso vocal estragado. 01:46 - ponte ascendente e refrão em 02:03. 02:22 - tudo é retomado, mas com o vocal mais vigoroso que antes. 03:26 - tome solo de guitarra! Depois do refrão uma poderosa cadência. Baita som!

02 - Shoot to thrill
00:00 -  guitarras com peso e microfonia. Aquela pegada (legal) típica deles. 00:35 - depois do sinal da bateria, entra o vocal. 01:03 - Refrão legal que nos remete ao trabalho anterior (Highway to Hell). Nada muito elaborado tecnicamente, mas bastante contagiante. 02:15 - o vocal segura uma nota aguda enquanto a banda faz um suspense para depois se jogar de volta no riff, seguido do solo. 02:57 - ritornello. 03:24 - a bateria marca nos tons e surdo. A estrutura da música muda drasticamente até se converter num blues-rock e caminhar para um solo frenético de guitarra, acompanhado do canto nas alturas. Petardo!

03 - What do you do for money honey
Power chords de cara. 00:16 - o riff característico e a pergunta que não quer calar: o que você faz por dinheiro querida? Zoação total.

04 - Given the dog a bone
Mais uma sem deixar a peteca cair, sem refresco, uhuu, ROCK 'N' ROLL!!!
05 - Let me put my love into you
O riff dessa lembra muito uma do Whitesnake (que veio depois, evidentemente). Essas metáforas sexuais da letra são de matar, parece coisa do Spinal Tap, rsss. Gosto bastante dos backing vocals e do solo bluzeiro. Aqui o homem solta o gogó.

06 - Back in black
Essa é perfeita para representar o dia do rock! Meio hard rock, meio blues... e para cantar assim? O homem deve esfolar toda a garganta, não tente fazer isso em casa! Super clássico.

07 - You shook me all night long
Uma mais comportada, nem tanto é verdade. A voz desce muitos tons, pelo menos até o refrão perfeito. Hino. Essa é outra que merece repetir. Se bem que esse álbum é tão bom que vale a pena repetir ele inteiro.

08 - Have a drink on me
A introdução é um blues de tirar o fôlego.  A guitarra faz as respostas do canto e o refrão é um verso marcado, como na maioria das músicas. Falta criatividade, mas para quê mexer em time que está ganhando?

09 - Shake a leg
Brian Johnson arrebenta no vocal nessa música. O cantor substituto manda muito bem! Nessa os irmãos Young revezam no solo.
10 - Rock and roll ain't noise pollution
As dirtoções e pedais são desligados no início. Clima descontraído, and make a blues! Mais tarde as dirtoções retornam junto com o peso. Grande disco, espero que você tenha curtido também.




Opinião de minha filha Ravena, uma legítima representante da geração séc. XXI

"Todas as músicas são divertidas e quase todas elas são melodicamente "parecidas" (muito!), mas são legais. A única música que eu conhecia nesse cd é a famosa "Back in black". (que eu particularmente gosto muito). Milhares de jovens mais novos e mais velhos  do que eu curtem AC/DC hoje em dia, maioria só conhece a música "Highway to hell", mas conhece."


O especial comemorativo ao DIA DO ROCK ainda não acabou! Não perca o último artigo, até mais! 

comentários: 5

Tiago Camilotti :

Esse álbum soa como mel aos meus ouvidos... Álias, meu despertador dispara, no último volume, ao som do AC/DC.
Bon morreu, mas plantou sua semente na história da música.

Vida longa aos "cangurus metaleiros" do AC/DC! \o/

abço

ROVIRO :

Esse som serve como uma cessão de descarrego,liberta a alma.

Rodrigo Nogueira :

_Boa Tiago!

É isso aí, Bon era foda, mas ainda bem que escolheram um vocalista novo a altura para continuar a jornada.

_E aí Rodrigão, legal que me achou véio! Esse disco é pra ouvir no último volume!

Obrigado pelos comentários amigos.

Abração!!

Marcelo marques :

esse disco masi que perfeito, só nao foi mais vendido que o Thriller, o que mostra a força do metal, do Hard no mundo. O disco é perfeito por não ter uma musica que não da para escutar, é bom para viajar, para festas, para curtir em cas, para varios momentos, e fez de Brian Johnson um idolo, substituindo muito bem o falecido Bon scott,é uma banda eterna.E um disco eterno.

Rodrigo Nogueira :

É isso aí Marcelo, falou e disse.

É bom mencionar que a década de 80, pelo menos no que diz respeito ao rock, foi dominada principalmente pelo heavy metal. Portanto muito mais vem por aí.

Valeu a presença!

Postar um comentário

Seu comentário é muito importante, todos que são publicados são respondidos, mas antes de escrever, verifique as normas do blog:
Você pode: Opinar, elogiar, criticar, sugerir, debater e discordar.
Mas NÃO PODE ofender, insultar, difamar, divulgar spam, fazer racismo, ou qualquer tipo de conteúdo ilegal, além de usar palavras de baixo calão de maneira gratuita.

Obrigado por sua visita, fico na expectativa de seu retorno!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...